Archive for the 'Espírito Errante' Category

ago 13 2014

Espírito Errante volume II

  Olá a todos! Estou disponibilizando a obra Espírito Errante volume II (aqui Livro Espírito Errante II), de autoria de Benedito Germano Neponuceno. Ela foi licenciada com uma  Licença Creative Commons – Atribuição – Uso Não,  Comercial – Obras Derivadas Proibidas, 3.0 Não Adaptada. Esta publicação está disponível em domínio público,  contudo, não autorizo o seu […]

No responses yet

dez 23 2013

Um grande passo!

  Contemplo o futuro, Sempre inseguro, Vejo amor e tristeza, com minha incerteza.   Sem minhas fantasias, Fico incompleto, Penso irrequieto, Em minhas teimosias.   Teimo no erro, subjugando meu desejo, ficando o meu ensejo, para o amor emperro.   Me condeno a infelicidade, Dentro de minha mediocridade, Controlo minha perversidade, Sendo esta minha continuidade.   […]

No responses yet

maio 08 2013

Sobre uma arvore

Sobre uma arvore   O doce brilho de seus olhos, Novamente a me inspirar, Uma suave brisa nos galhos, Uma musica a tocar…   Deitados na grama, O céu a admirarmos, Sonho de quem ama, Planos para realizarmos…   Ó, amada, Em verdade lhe digo… Não temas nada,   Pois estou contigo! Vou livrá-la, De […]

No responses yet

maio 08 2013

O lago

O lago   A imagem da lua, No lago a refletir. A poesia é sua, Vejo-te sorrir.   Na sua face a pintar, Alegria de criança. O vento a cantar, Sonetos de esperança.   Em teus braços o calor, O amor a nos aquecer. Fazes em teu louvor, Que agora vou escrever.   Teus lábios […]

No responses yet

maio 08 2013

Na ponta de um grafite

Na ponta de um grafite   Na ponta de um grafite, Um coração que narra, Suas alegrias e tristezas. Na ponta de um grafite, Que escreve histórias  imaginárias, Ou a realidade, Que do homem é natureza. Um pobre mortal, Com suas incertezas, Tenta descrever, Tenta, Na ponta de um grafite, Fazer nascer, As frases perfeitas […]

No responses yet

maio 08 2013

Lagrimas

Lagrimas       As lagrimas, em gotas. Como pingos de chuva De seus olhos brotavam Caindo na estéril terra Fazendo dela nascer Verdes prados O motivo de seu pranto, Um sol escaldante, Ardendo, Sobre a criança inocente. Sol, dos impuros, Incrédulos, Não mais ardia, Nas sobras de árvores Que no prado nascia Árvores tristes, […]

No responses yet

maio 08 2013

Espírito errante

Espírito errante   Este sol que agora nasce, É meu espírito que acordou para a vida.   Ele se ergue forte impetuoso no céu, Como meu espírito libertado das trevas.   Espírito que como uma ave mitológica, Renasce das cinzas e vê a eternidade.   Espírito solto na terra, Com sede pela aventura, saber e […]

No responses yet

maio 08 2013

A rede

A rede Em uma rede a balançar, Um céu estrelado a nos cobrir Eu a contemplar, A seus lábios a sorrir. Suave brisa a nos tocar, Tua mão a me sentir, Eu a te amar, E a felicidade a fluir… Seus olhos a brilhar, Brilho de quem ama, Teu corpo a emanar, Calor a nossas […]

No responses yet

maio 06 2013

Ócio

Ócio Quando o tempo não passa, “Em meu rosto, Um sorriso sem graça”, Advindo do desgosto. Por não ter o que fazer, Por não poder crescer, Matando o tempo, Com o meu descontento. O sono quase me engana, Pálida gana, Nesta hora insana, A vida é sacana. Mais uma vez tento, Mas permaneço sedento, Por […]

No responses yet

maio 06 2013

Futuro

sexta-feira, 30 de julho de 2010 Futuro Futuro   Vejo no horizonte, Meu futuro de fronte. Por pouca ambição, Subjuguei meu coração.   Sempre o alimentando, Com sonhos escassos, Tornando-o nefando, Condenando-o ao fracasso.   Mas estou no presente, E o futuro dormente, Verá seu assalto, No presente sobressalto.   Ainda vivo, E este futuro […]

No responses yet

Next »